O que sou e sinto
Escrito por Regine Wilstom

O cabelo vou mudando,

As roupas vou trocando,

Na faculdade estudando,

No emprego trabalhando,

Clique AQUI para ler o texto na íntegra

 

 

Desânimo

Escrito por Bárbara Carajeliascow

Muitas vezes achamos que escravidão é somente quando alguém nos aprisiona e somos a obrigados a cumprir ordens desse outro alguém.

Clique AQUI para ler o texto na íntegra

 

Ou você é amigo, ou não é Imprimir E-mail
Qui, 07 de Junho de 2012 00:00

"Não dá para ser amigo pela metade"

"E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida." (William Shakespeare)

Nota da Autora 1: Embora esteja chegando o dia dos namorados, receio que minha temática seja sobre amigos novamente. Eu até poderia fazer por onde ser diferente (se eu fosse lá uma pessoa racional) mas aprendi que quando o coração manda, as palavras devem ser ditas.

Nota da Autora 2: Se quizerem fazer a bondade de ouvir a música "Tudo que vai" Capital Inicial - é o pano musical da vez.

Nota da Autora 3: Perdoem o tom de melancolia é que nesse tempo de frio e chuva, eu fico mais nostálgica do que já sou por natureza...

Quero começar falando do telefonema que me fez ganhar o dia hoje. Quando o telefone toca, sem nenhuma manifestação fico ouvindo seu barulho alto, até alguém atender (como quem pensa, não é para mim mesmo) e dai veio a surpresa.

- Regine é para você.

Fiquei pensando e respondi: Ora, quem é?

- É a Agatha. Disse a minha mãe.

Pronto ouvir esse nome foi motivo suficiente de me fazer abrir um sorriso no rosto e ficar feliz o resto do dia. Imagino que vocês estão se perguntando: tá e quem é essa Agatha? Vou tentar apresentá-la para vocês de uma maneira simples e prática.

Sabe aquele papo de primeiro amor? Então, trazendo isso para amizade eu a tenho como uma "primeira melhor amiga" pois foi com ela que eu aprendi, senti e vivenciei pela primeira vez o que significavam essas palavras. Estávamos na sétima série, ano de 2005 que de longe foi o melhor ano da minha vida e talvez o pior da vida dela. Foi em meio a descobertas de felicidades e decepções que nos encontramos. Se nos perguntassem o por que de sermos melhores amigas naquela época, repleta de saudade tenho o discursso na ponta da língua. Foi a Agatha Silvério Valim que influenciou muito no jeito que sou hoje, na pessoa que me tornei. Porque ela era uma amiga intensa e sincera que demonstrava o que sentia, fossem sentimentos de carinho, ciumes ou nervoso - sempre falados e demonstrados. Via-se de longe o quanto eramos amigas, não precisava nem falar, era algo de sentir. Acho que não dá para ser amigo pela metade, ou você é amigo, ou não é - e isso reflete em prazeres e desgostos.

Eu fiz toda essa introdução para chegarmos ao ponto principal: Por que as pessoas surgem em nossas vidas? Gosto de pensar que elas surgem, por uma necessidade que temos delas - ou elas tem de nós. Seja para rir, chorar, brigar ou aconselhar. Seremos aprendizes com essas amizades ou mesmo professores. Nada acontece por acaso, o que existe é destino. O mesmo destino que ora coloca essa pessoa na nossa vida, é o mesmo que nos afasta dela.

Em algum momento elas vão aparecer, tão bonitas quanto um sol de verão - vão se aproximando, fazendo com que a gente vá se apegando, até ganharem total espaço em nossos corações e vidas. O mais difícil é descobrir que essa felicidade possa ter um tempo indeterminado e sem que façamos nada - essas amizades vão embora como ondas do mar. Que vão e vem. Vem e vão.

É por isso que fica-se os gostos, as fotos, e as lembranças de tudo que vai. E como diz a música de alguma forma "eu já me acostumei a esquecer tudo que vai". Existe uma diferença imensa entre se acostumar e gostar. Não foram uma ou duas amizades que perdi, que já se foram. E não por morte ou algum motivo do gênero mas porque a vida nos afastou - ou elas permitiram que o destino nos afastasse. Gosto de pensar que temos um destino traçado, um caminho para trilhar mas são as nossas escolhas que tornam isso possível. Amizades se perdem por distância, falta de vontade e/ou de garra de mantê-la por perto. Ser adulto com agenda cheia, dias corridos, trabalho e faculdade não é desculpa para términos de amizade. Uma agenda cheia pode afastar e dificultar o contato mas jamais ser motivo para o fim. Acho que muitas pessoas se escondem atrás de agendas cheias para deixarem de lado amizades que talvez não façam mais tanta importância. É muito mais fácil você terminar um namoro do que uma amizade. O lago do esquecimento talvez seja a melhor solução.

Não gosto e não me conformo em perder amigos, principalmente quando não tem motivos, ou esses motivos são medíocres demais. Mas receio que a amizade seja uma via de mão dupla, um barbante de dois lados. As duas amizades precisam preservá-lo e cuidar para que ele continue intacto, do contrário esse barbante vai se desfazer. Como aconteceu comigo algumas vezes. "O problema não é você ser amiga delas Regine, a questão é saber se elas são suas amigas". Sempre neguei essa frase e não quis aceitá-la, são palavras da minha mãe. Demorei anos para entende-lás e hoje com 20 anos de idade, sinto tristeza ao confessar que sejam verdadeiras. Uns são amigos, outros fingem. Isso é a vida que vai mostrar.

"Você tem uma visão muito romântica do mundo", já ouvi isso várias vezes e tenho mesmo. Gosto de esperar o melhor das pessoas, porque eu ofereço o meu melhor. Não sei ser coleguinha de escola ou companhia para porta de bar. Ou sou amiga por completo, ou é melhor nem ser. Gosto de intensidade, aprecio a verdade. O que eu puder fazer para agradar uma amiga, eu o farei sem pestanejar. Porque gosto de ver as pessoas felizes - gosto de cultivar esses sonhos que nos fazem sonhar. Mando cartas, mensagens no celular, nas redes sociais, emails. Compro chocolate, visito, chamo para sair. Telefono e quero que estejam por perto. Não fico esperando que façam o mesmo por mim, a única coisa que desejo em troca é a cumplicidade e o carinho. Que isso sim seja recíproco. Muitas vezes não é, então fico entristecida. Tento buscar uma forma de resgatar a amizade, de não deixar que os sentimentos sejam jogados ao léu. "Você cobra de mim uma pessoa que eu não sou". Será que é muito pedir uma demonstração de afeto ( e por que não dizer ) demonstrações de amor? Acho mesmo que todas as amizades que se perderam foi por um motivo em especial: não souberam entender o meu lado. Porque eu sim tenho que ser compreensiva e entender as formas das pessoas agirem e serem. Secas, racionais e distantes. Mas quem vai entender o meu lado? O jeito que sinto, penso e levo a vida? Não pensei que seria tão difícil ser uma pessoa emocional e até onde eu sei não é nenhum pecado. É por isso que continuo assim, do jeito que sou. Tem quem goste (e admita), quem não goste (e minta). Dizem que quem não aprende no amor, aprende com a dor. Embora eu já tenha aprendido a minha lição, talvez essa seja a minha missão.

Enquanto tiver alguém que me procure para sorrir ou para chorar. Alguém que queira me contar segredos ou ouvir os meus. Alguém que me mande mensagens ou goste de receber as minhas. Alguém que queira me dar um abraço ou receber um abraço meu. Alguém que me procure ou queira ser procurado por mim eu estarei bem aqui. Afinal é para isso que servem as amizades.

Nota da Autora 4: Desabafei.

 

Regine Wilstom

regine_wilstom@hotma il.com

Clique AQUI para ler textos de outros escritores

Clique AQUI para ler textos do VADO

.

 
 

Livro: Refletir... e Viver" Clique na imagem para comprar

Compre Livros, DVD´s, Informática e muito mais!

Escolha a loja abaixo e clique na imagem

 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.